Vídeo: com R$ Milhões em conta, prefeitura de Braide atrasa pagamento aos professores

Com R$ Milhões dos precatórios do FUNDEF na conta da Prefeitura de São Luís, prefeito Braide veta projeto e prejudica professores 

Como já publicamos aqui no Site Observatório, a Câmara Municipal de São Luís, após ouvir sindicatos, associações e professores em geral aprovou a proposta que dispõe sobre os critérios de rateio aos profissionais do magistério da rede pública municipal de ensino, referente aos recursos do Fundo de Desenvolvimento da Educação Fundamental  – FUNDEF, e o prefeito Eduardo Braide (PSD), resolveu iniciar uma disputa com a Casa Legislativa, prejudicando milhares de profissionais de São Luís.

A atual gestão do prefeito Eduardo Braide, que oculta desde o mês de Agosto, os valores financeiros recebidos e atualizados, com a correção de juros e mora deste precatório do FUNDEF, que não pregou um alfinete numa barra de sabão para que estes recursos viessem para os professores, agora se acha dona do dinheiro e quer dizer para quem paga, como vai pagar e até quando vai pagar.

Os vereadores na manhã desta quarta-feira se pronunciaram e fizeram duros discursos contra o prefeito Eduardo Braide, que segundo eles, politiza o pagamento dos recursos dos precatórios do FUNDEF.

Em seu discurso, o presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Paulo Victor (PSDB), afirmou que é prerrogativa do Legislativo Municipal analisar e propor alterações, caso seja necessário, aos projetos de lei encaminhados pelo Poder Executivo.

“As emendas feitas ao PL que regulariza o pagamento dos precatórios do FUNDEF aos professores foram amplamente analisadas, discutidas com a categoria e buscam corrigir algumas inconsistências do projeto original, enviado somente no início de outubro pela prefeitura” disse Paulo Victor.

O presidente afirmou que vai exigir transparência no repasse dos valores, de modo que todos os professores tenham seus direitos integralmente respeitados.

“Nossa intenção é, sobretudo, exigir mais transparência no repasse dos valores e garantir que todos os professores tenham seu direito integralmente respeitado. Na segunda-feira, daremos continuidade a esta discussão dos vetos”, finalizou o presidente da Casa Legislativa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade
Arquivos