No Maranhão: soldado que denunciou ter sido vítima de homofobia está em estado grave em hospital

Crimes teriam sido praticados por outros policiais militares. Polícia Militar do Maranhão abriu processo administrativo para apurar o caso

Um soldado da Polícia Militar do Maranhão, de 31 anos, que denunciou ter sido vítima de homofobia e tortura pelos próprios colegas da corporação está internado em estado grave no Hospital Municipal, na cidade de Açailândia. A PM abriu um processo administrativo para apurar o caso.

A agressão foi denunciada à PMMA, no dia 27 de junho. De acordo com o Boletim de Ocorrência registrado, os colegas de corporação chegaram à casa do soldado em um uma viatura da PM, com o alerta sonoro e giroflex ligado. Eles avisaram o PM, que ele havia abandonado o posto de serviço, e por isso estava preso.

Ainda segundo o B.O, os agressores arrastaram o soldado pelo braço esquerdo, puxando-o para fora de casa, sendo que ele estava vestindo apenas uma toalha. Depois, eles entraram na residência do soldado sem permissão e revistaram os cômodos.

O caso foi denunciado como lesão corporal, violação de domicílio e abuso de autoridade. Após a denúncia, o 26º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Açailândia, o qual a vítima é lotada, mudou de comando.

O novo comandante disse que está ciente do caso e que um processo administrativo foi instaurado para apurar a denúncia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Publicidade
Arquivos