Estão armando uma “casinha” para o prefeito Eduardo Braide

Prefeito Eduardo Braide precisa sair da armadilha que criaram para ele 

Prefeito Eduardo Braide precisa sair da armadilha

Desde que saiu de patamares baixíssimos e conseguiu chegar ao segundo turno nas eleições municipais de 2016, e perdeu a disputa para o então prefeito Edivaldo Holanda Júnior, que tentava a reeleição, que Eduardo Braide ficou marcado com uma boa impressão na cabeça dos ludovicenses. De lá pra cá, ele foi o deputado federal mais bem votado da Capital em 2018, quando chegou a ter cerca de 30% dos votos em todas as urnas de São Luís. Braide se tornou a maior liderança de São Luís, com prestígio, e em 2020 na eleição para a Prefeitura de São Luís, não deu outro nome, Braide liderou a disputa do começo ao fim.

Quando assumiu o mandato, no ápice da pandemia, logo no primeiro ano de gestão (2021), com a chegada de vacinas, imprimiu um ritmo de trabalho acelerado, com afinco e competência, o prefeito Eduardo Braide e sua equipe da saúde, colocaram  São Luís em destaque nacional e transformá-la como a “Capital Brasileira da Vacina”, comprovando o que os ludovicenses creditaram ao prefeito – “Bom gestor”.

Virado a página da vacinação, neste ano de 2022, o prefeito Eduardo Braide deparou-se com uma realidade totalmente atípica do que encontrou no ano passado, em 2021, sobre seu o colo, começou uma batida de asas de borboletas, uma turbulência política, vindas diretamente por parte de aliados próximos, que estiveram com ele durante a campanha eleitoral e queriam espaço na gestão – não há um aliado de mandato que tenha conseguido espaço na atual gestão.

Da batida de asas de uma borboleta, gerou-se um tufão na Câmara Municipal de São Luís, na qual o prefeito não conseguiu viabilizar um nome aliado para concorrer à presidência da Casa Legislativa, e nem mesmo tem forças, sequer para conseguir aprovar projetos de interesses do Executivo Municipal – todos os projetos de interesse da Prefeitura são deixados de lado, gera muita confusão, não tem quórum e assim vai passando o tempo.

Após ter perdido o espaço com a classe política (vereadores), o prefeito Eduardo Braide recebe diariamente uma enxurrada de protestos, greves e manifestações – e tudo isso se deve amplamente à gestão fracassada do ex-prefeito de São Luís, EDIVALDO HOLANDA BRAGA JÚNIOR. E estas inquietações vão aos poucos desmanchando a imagem de bom gestor do prefeito, pois para a população de São Luís, os erros, malfeitos absurdos e criminosos de gestões passadas não interferem na atual gestão, contudo, como interferem e muito! Mas como Braide nunca reclamou da gestão fracassada de 8 (oito) anos de Edivaldo, a população pensa que está tudo bem – não está!

São Luís tem um déficit enorme no orçamento, está endividada com empréstimos em cima de empréstimos, dívidas sobre dívidas. A gestão Braide recebeu a Educação na UTI e Saúde no Velório, mais de 200 escolas completamente sucateadas e sem as mínimas condições de receber os alunos, um rombo financeiro com as Escolinhas Comunitárias. Socorrões I e II, com maquinários quebrados, sem funcionamento, sem insumos, corredores lotados, telhados em péssimas condições que alagaram o Hospital da Criança – tudo isso geraram e geram desgastes à imagem do prefeito Braide. Soma-se a isso, a TV Mirante, roteirizada pelo Palácio dos Leões, batendo de manhã, tarde e noite na atual gestão, explorando a crise das escolas que estão caindo e as falta de vagas,  o problema do lixo espalhado pela cidade, e a crise no transporte público nunca antes vista na Capital.

Tudo isso é o resultado de uma herança maldita e caída sobre o colo do prefeito, que ao passo que não divide a responsabilidade com aliados e a população, Braide vai apanhando sozinho, “entrando numa casinha”, que parece já estar toda armada para 2024, e, caso o governo do estado permaneça com as mesmas digitais nesta eleição de 2022, o inimigo vai morar ao lado.

Toda esta etapa acima, este cronograma, este engendramento político, imprensa e desgaste, nada foi inventado da minha cabeça, tudo isso já aconteceu uma vez e não foi tão distante – foi com o então prefeito João Castelo Ribeiro Gonçalves (2009 a 2012).

Estão armando uma casinha para o Prefeito Eduardo Braide!

Um Comentário

  1. O maior problema de uma gestão é exatamente esse. Quem apoia um candidato que ganha uma eleição, acha-se sempre com direito de cobrar benefícios aos seus amigos e a si próprio. Quando seus pedidos não são atendidos pela gestão por conta das contas e dos desmandos sempre deixados por gestões anteriores, os aliados de campanha deixam os interesses do povo de lado por conta dos seus interesses. Vejo o Prefeito Braide como um gestor sério que quer trabalhar mas, tem esses impersilios na sua gestão por conta das manobras políticas do próprio governo do estado por um projeto político que desagrada o Prefeito ou que ele não apoia. Muito triste essas manobras políticas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade
Arquivos