MUITO LIXO? Gestão Braide aumentou valores pagos em quase 40% para empresa

Durante a gestão do prefeito Eduardo Braide (PSD), os pagamentos à empresa São Luís Engenharia Ambiental – SLEA, subiram quase 40%, passando de R$ 139 Milhões (2021) para R$ 184 Milhões (2023)  

Sem motivação, gestão Braide aumentou em quase 40% pagamentos a empresa

No primeiro ano da gestão do prefeito Eduardo Braide (2021), quando o orçamento financeiro ainda era da gestão passada, do ex-prefeito Edivaldo Holanda Júnior, o valor total pago para a SLEA foi de R$ 139.214.040,35 (Cento e Trinta e Nove Milhões, Duzentos e Quatorze Mil Reais). Já no ano seguinte (2022), com orçamento aprovado pela gestão do prefeito Braide, os valores pagos à empresa subiram mais R$ 44.881.000,00 (Quarenta e Quatro Milhões, Oitocentos e Oitenta e Um Mil Reais), totalizando pagamentos de R$ 183.191.392,31 (Cento e Oitenta e Três Milhões, Cento e Noventa e Um Mil Reais).

No ano passado (2023), terceiro ano da gestão Braide, a SLEA recebeu dos cofres públicos municipais o valor de R$ 184.095.000,00 (Cento e Oitenta e Quatro Milhões, Noventa e Cinco Mil Reais).

O que causa muita estranheza é que os parâmetros de geração e medição de resíduos sólidos leva em consideração o fator “per capita”, que segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, a população de São Luís vem diminuindo nos últimos anos.

Por este dado do IBGE, leva-se em consideração, que ao invés de gerar mais resíduos, a população tende a gerar menos, sem falar que durante este mesmo período, do que se trata esta reportagem do Site Observatório, ainda passamos por uma severa pandemia. Além disso, uma acentuada crise econômica afastou o consumo de muitas famílias, e portanto, como todos os estuados apontam – menos consumo, menos geração de resíduos.

EM TEMPO: o Site Observatório também realizou um levantamento e apontou que não há controle quanto o assunto é KG/Lt de resíduos em São Luís;

E MAIS: não há uma fiscalização externa para se verificar o que é coletado e o que é realmente pago pelo gestão municipal;

PRA FECHAR: a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos – SEMOSP é a responsável, em tese, pela fiscalização do contrato com a SLEA.

CONTINUA…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade
Arquivos