Maior que o Pré-sal: 30 BILHÕES de Barris de Petróleo na Margem Equatorial

Considerada como o “novo pré-sal” brasileiro, a região apresenta um grande potencial para a produção de petróleo e se tornou a grande aposta do Governo Lula

Antes de tudo – tomara que o Brasil não venha sofrer um novo GOLPE, tal qual sofreu após a descoberta do Pré-sal.

O termo “Margem Equatorial” entrou em evidência novamente em 2023 com a aprovação da solicitação de exploração feita pela Petrobras, ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Segundo a empresa, a Margem Equatorial representa um importante potencial petrolífero. Essa é uma região na qual a petroleira pretende investir para produzir petróleo de menor custo e menor emissão de carbono, que também tem chamado a atenção do mercado internacional de petróleo e gás.

No entanto, também há discussões acerca dos povos originários e do ambiente que serão afetados.

Margem Equatorial, ou “novo pré-sal do Brasil”, é o nome dado a uma região no Norte do Brasil, entre os estados do Amapá e Rio Grande do Norte, caracterizada pelo seu grande potencial petrolífero. Essa é uma continuação da jazida da costa da Guiana e abrange cinco bacias em alto-mar: Foz do Amazonas, Pará-Maranhão, Barreirinhas, Ceará e Potiguar. Ou seja, é uma região entre bacias marítimas de exploração e produção de petróleo e gás.

A região ainda é pouco explorada, mas desperta interesse devido às características geológicas semelhantes às da Guiana e do Suriname, onde já foram descobertas reservas de petróleo estimadas em 30 bilhões de barris.

EM TEMPO: desde a sua descoberta até 2023, o pré-sal alcançou uma produção acumulada de 5,5 bilhões de barris de petróleo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade
Arquivos