Álvaro Pires quer garantir espaço para atividades de Wheeling, o famoso “grau”

Projeto reconhece o wheeling e demais manobras de motocicletas, que se assemelhem às exibições típicas do seguimento, em local devidamente destinado a essa finalidade, como prática esportiva no âmbito do município de São Luís

Tramita na Câmara Municipal de São Luís, Projeto de Lei ,de autoria do vereador Álvaro Pires (PSDB), que dispõe sobre o reconhecimento do esporte “wheeling”, como atividade esportiva em São Luís, bem como visa garantir um espaço adequado para a atividade na Capital.

De acordo com a proposta do vereador, o PL tem como objetivo reconhecer o wheeling, e demais manobras em motocicletas, que se assemelhem às exibições típicas do seguimento, em local devidamente destinado a essa finalidade, como prática esportiva no âmbito do município de São Luís, Capital do Estado do Maranhão.

A modalidade wheeling na realização de manobras e acrobacias de solo sobre duas rodas, também conhecido como “grau”, “RL (Rear Lift)” ou “Bob’s”, nas quais força e equilíbrio são exigidos ao máximo dos praticantes, conforme homologação pela CBM — Confederação Brasileira de Motociclismo.

Segundo a proposta do vereador, estas manobras e acrobacias, uma vez reconhecida por Lei, somente poderá ser praticada em São Luís, em locais apropriados e devidamente licenciados pelo Poder Público Municipal, para a exibição de apresentações, lazer, shows ou competições, observadas as regras estabelecidas pela CBM — Confederação Brasileira de Motociclismo e nos termos de regulamentação expedida pelo Poder Executivo. Veja abaixo, alguns trechos que disporá a Lei.

  • 1° Poderão ser licenciados para a prática da modalidade esportiva, conforme previsto no caput deste artigo, espaços públicos ou privados.
  • 2° – Poderão ser realizados nestes locais, treinos, eventos, competições e demais encontros com o intuito de difundir a cultura e incentivar a prática segura das manobras realizadas em motocicleta, nos termos do Art. 1° desta lei.
  • 3° – São requisitos mínimos ao licenciamento para a prática esportiva a que se refere esta lei:

I – pista com asfalto de qualidade e medidas mínimas de xx metros de comprimento por xx metros de largura;

II – local destinado ao público expectador, com observância dos mesmos requisitos de segurança implementados para modalidades esportivas semelhantes;

III – comprovação, pelos organizadores do evento ou competição, da implementação de todas as normas de segurança e proteção dos pilotos, recomendadas pela CBM — Confederação Brasileira de Motociclismo.

Art. 3° – São indispensáveis para a prática esportiva descrita nesta lei, por parte dos praticantes, o uso de equipamentos obrigatórios de segurança regulados pela Lei Federal n° 9.503, de 23 de setembro de 1997, bem como a apresentação de Carteira Nacional de Habilitação na Categoria “A” e o licenciamento da motocicleta em dia.

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade
Arquivos